Acorda o revisor! (7)

Este sono profundo foi encontrado hoje pela manhã no UOL: “Fora, Temer!” é uma expressão, uma palavra de ordem, um clamor, algo dito pelas pessoas e citado na frase. Portanto, deveria ser identificado desta forma: entre aspas, inicial maiúscula e finalizada por exclamação. Ou seja: Procurador do Paraná encerra discurso com “Fora, Temer!” Mas o Leia mais… »

O meu? O dele?

Uma cochilada comum de redatores e revisores, e que produz resultados muito hilários, é o uso desnecessário dos pronomes possessivos de terceira pessoa. Veja este exemplo recente: O texto é dirigido ao leitor, dizendo a ele para não segurar um espirro, “tapando seu nariz e sua boca”. Observe que os dois pronomes possessivos são desnecessários. Leia mais… »

Sereia com muito ou com pouco açúcar?

  Às vezes eu penso que o pessoal do Yahoo faz isso de propósito, só para aparecer aqui no Quefalta! Só pode! A coisa é simples assim: Cauda é aquilo que o cachorro abana quando vê o dono ou que coloca no meio das pernas quando fica assustado. É sinônimo de rabo. Existe em peixes Leia mais… »

Acorda o revisor! (3)

Eu sugiro que o revisor comece a revisar… “Começem”? De onde ele tirou isso? Dica: o cê só recebe a cedilha quando tiver o som de dois esses antes de a, o e u. Assim: caçada açúcar Açores começar açoite alcaçuz Antes de e e de i, nunca há cedilha. Abraço! (Mais um exemplo…) Salvar

Acorda o revisor! (2)

Veja o perigo de você receber um jato de spray de tinta biológica. Ele pode provocar um infarto! A necessidade de reler o que foi escrito é essencial para não haver ambigüidade. O que o redator pretendeu dizer foi: Após infarto, coração é curado com spray de tinta biológica. Dica: releia sempre o que escreveu; Leia mais… »