Problemas sérios

A falta de revisão pode gerar situações engraçadas, como apresentamos aqui vez por outra. Mas pode, também, produzir verdadeiros desastres. Quando se refere a material escolar, o erro é imperdoável. Veja esta notícia, sobre livros de geografia que trocam países de lugar. Livros para rede pública são, primeiramente, avaliados por especialistas do governo. Como puderam eles aprovar um absurdo assim? E como ficam as crianças, aprendendo uma geografia que não existe? Para variar, a culpa é sempre de alguém, do outro… e pobre do povo!

Outro problema é quando o consumidor comum é prejudicado financeiramente por um livro que não foi bem revisado. Além da revisão de tradução, redação, diagramação, etc., é necessária a revisão do material após a impressão. Controle de qualidade. Isso não aconteceu no caso do livro 1808. Veja um pouco sobre a encrenca aqui.

____

Atualização em 19.03

Apareceu o culpado pelos erros nos livros didáticos: o diagramador. Vejam aqui. Os caras estão querendo briga, né? Eu sou diagramador, e não entendo como um erro de diagramação afetaria apenas uma parte dos livros impressos. Fizeram duas impressões com duas diagramações diferentes? Isso não isenta o revisor, pois é dele a responsabilidade sobre o texto final. Não é a primeira vez que a turma do trabalho braçal paga o pato. Lembram-se desse outro caso? Ali o culpado foi o digitador. Quem será o próximo culpado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.