Menino ou menina?

O gênero das palavras é tema complexo e curioso. Em primeiro lugar, temos de aceitar que o gênero dos vocábulos é arbitrário. Por que temos o dia e a pia? Por que o monte e a morte? Só muda uma letra! “É a etimologia…”. No tempo de Camões, escrevia-se a planeta; hoje, é o planeta. O corpo celeste e a etimologia são os mesmos, mas a percepção sobre o objeto mudou com o tempo, mudando-lhe o gênero. Quer complicar um pouco? Em português temos o sangue, o leite e a mensagem; em espanhol temos la sangre, la leche, lo mensaje. As coisas são as mesmas, mas são vistas como pertencendo a gêneros diferentes em idiomas com a mesma raiz. Por quê?

Na linguagem popular, também há variação com respeito à norma culta nesse assunto. Quem já não ouviu alguém dizer que sentia “uma dozinha” de alguém? Talvez pela associação com pena, muitos usam como se fosse substantivo feminino, mas ele é sempre (no sentido de comiseração e de nome da nota musical) masculino.

A horta também traz confusão. Vejam o exemplo:

É menina!

Couve é menina. É o que diz o VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), o dicionário Michaelis, o dicionário Priberam, o Aulete e outros bons dicionários. O Aurélio, que já foi bom, omite essa importante informação do vocábulo.

Talvez seja uma variação regional; não sei se há lugares no Brasil em que couve seja tratado como menino. (Por falar nisso, lembrei que conheço uma pessoa que fala “o couve”…) Alface também é substantivo feminino, embora muitos falantes (eu, inclusive) o tratem como masculino.

Mas o texto aí tem outros erros, mais feios. Em laranja agora:

Concordância!

O correto é: ou “quais deles possuem” ou: “qual deles possui”. No primeiro caso, mais de um alimento possui; no segundo, apenas um é o campeão.

Para concluir, em verde:

E a crase?

Faltou a crase! O cochilante redator deveria ter escrito: “À resposta, vocês terão acesso…”. Observe que, na ordem direta, a frase ficaria: “Vocês terão acesso à resposta…”, e (quase) ninguém teria dúvida sobre a presença da crase.

Há mais alguns erros. Mas deixarei que os leitores os indiquem.

Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.