A maioria é ou a maioria são?

Quando usamos frases como “a maioria das pessoas…”, o verbo pode ficar no singular, concordando com maioria, ou ir para o plural, concordando com pessoas. Há estudiosos da língua que defendem como corretas ambas formas. Eu, particularmente, prefiro a primeira: verbo sempre no singular, concordando com maioria, palavra que está no singular. E essa é a forma mais aceita como correta. Portanto, em provas, redações, entrevistas de emprego, se tiver de usar, prefiro a concordância no singular.

Bom, mas há gente que prefere concordar com o plural. Vá lá! Está certo. No entanto, seja coerente e use sempre da mesma forma. Não faça como o Terra (sim, de novo ele), que não se define. Veja só:

Como se pode observar, no título a escolha foi por “a maioria são”, assim como no início da primeira frase. Mas na mesma frase, o redator muda para “a maioria diz que não vai”, ou seja, concordando com a palavra no singular.

Sempre que você escrever, cuidado com a concordância. Se errar nela, seu melhor texto ficará estragado.

19 Replies to “A maioria é ou a maioria são?”

  1. Uma vez que ambas as formas são corretas – uma pela concordância com “maioria”, singular; outra pela concordância com “portugueses”, no caso do texto no Terra – não deveria haver problema em alternar entre as formas. Na verdade, a mim, parece até interessante a variação na concordância em casos em que duas possibilidades são corretas, dando maior variabilidade ao texto. Parece-me enriquecer o texto, como quando se usa sinônimos ou pronomes no lugar de um substantivo para evitar a repetição.

    Abraço,

    Thiago

  2. Muito interessante o blog, graças à ele consegui sanar minha antiga dúvida…

  3. e se o cara escreve “maioria dos Brasileiros são corrupto”. Essa última palavra não deveria vir no plural?

  4. Quem cuida, cuida de alguém ou de alguma coisa.
    Manter o estilo, para mim, é importantíssimo.

  5. o Texto do terra esta correto.

    o plural ou singular é opcional quando o (esqueci o nome, sujeito?) é especificado na frase. ex: das pessoas, dos portugueses.
    a maioria das pessoas são xx
    a maioria das pessoas ê xxx
    grande parte das pessoas são xxx
    grande parte das pessoas é xxx
    nesse caso sim, as duas formas estao corretas.

    Porem, quando esse negocio nao é especificado, é Obrigatorio o uso do sigular.
    Ex a maioria é xxx
    grande parte é xx

    dessa forma, usar “a maioria são xxx” esta errado! pois nao acompanha o sujeito? no plural

    no texto do terra fica claro que eles usaram correta mente: a maioria “dos portugueses” são. e logo em seguida usaram a forma correta no singular, sendo implicito que nesse segundo momento só é feito o uso “da maioria”.
    ex, explicitamente ficaria:

    a maioria dos portugueses são contra e, essa maioria, diz xxxz

    essa maioria é, essa maioria diz.

    vi isso em um link :)

    http://www.centraldeestagio.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=62

  6. Olá, Marcelo!
    Obrigado por sua contribuição. O artigo que você indica, em extremo sucinto, corrobora integralmente o que escrevi. No entanto, ele não isenta o texto do Terra de erro. Não estaria errado se a concordância fosse em outra frase, com a citação de “maioria” sem nenhum complemento. “A maioria dos portugueses são… Essa maioria é…”. No texto, porém, o mesmo sujeito, a maioria dos portugueses, é tratado, na mesma frase, como plural e singular simultaneamente. É o mesmo sujeito ainda; portanto, seu número não pode variar.
    Grato pela visita. Volte sempre.
    Abraço.

  7. Ontem durante o almoço surgiu essa dúvida. Excelente explicação, obrigado!

  8. Thiago, nada pior do que uma dúvida de português para estragar o almoço… ;) O Que Falta está aqui para ajudar você a ter um almoço tranqüilo!
    Volte sempre!

  9. “A maioria dos homens é bonita.” não me parece correto. No meu entender, o correto é “A maioria dos homens são bonitos.”

  10. Prezado José, compreendo sua dificuldade com esse assunto. Com certeza, você não é o único.
    As palavras que, mesmo estando no singular, têm sentido de várias coisas, de pluralidade causam essa dificuldade. São exemplos disso: maioria, minoria, grupo, multidão, variedade.
    Como eu disse no artigo, a concordância preferida pela norma culta é com o núcleo (maioria) do sujeito (maioria dos brasileiros). Isso está absolutamente correto, e já vou mostrar porquê.
    Mas há quem aceite a concordância com a idéia de pluralidade, como no exemplo que você deu, que lhe parece o mais correto. Você pode usar qualquer uma das duas formas, pois terá apoio de bons autores para ambas. O que eu destaquei no artigo é que se deve fazer um uso coerente, fazendo a concordância verbal corretamente.
    Agora, considere a frase: “Dos meninos, a maioria está jogando bola”. Nenhuma dificuldade com a concordância, certo? Do mesmo modo, se escrevermos: “Os meninos, na sua maioria, estão jogando bola”.
    Em ambos casos, fica bem clara a concordância no singular com maioria, por ser palavra singular. E fica clara a concordância no plural com meninos, palavra plural.
    A confusão surge quando se misturam, ou se intercalam, os termos. “A maioria [dos meninos] está jogando bola.” Observe que a concordância continua sendo com a palavra singular maioria. Mesmo se o termo plural intercalado fosse maior — A maioria [dos 17 mil despedidos recentemente pela maior montadora de Jacarepintassilva] continua desempregada — , o núcleo do sujeito ainda é maioria, palavra singular feminina.
    Procure fazer essa inversão dos termos da oração que seguem a palavra maioria, e você verá que ela é quem manda. ;)
    Abraço!

  11. Caro Francisco
    Veja a sua resposta ao Marcelo…..
    Creio que o verbo “corroborar” não pede o “com”. Creio que o certo seria seria “o artigo….. corrobora integralmente o que eu escrevi”

  12. Prezado César, você está certo! Não revisei o texto e errei a regência (que falta faz um revisor… ;) ). Assumo o erro.
    Corrigi o texto, mas deixarei seu comentário para me lembrar sempre: cuidado com as cochiladas!
    Quero lhe agradecer especialmente pelo tom amigável e respeitoso de seu comentário. Isso é raro em tempos de ódios internéticos.
    Grande abraço!

  13. De nada……Imagino que você tenha pensado em usar o verbo “concordar” e, no meio do caminho, mudou para “corroborar”. Acontece muito quando a gente escreve com pressa….hehehehe

  14. Excelente conteúdo, Francisco.

    Suas respostas destruíram as minhas dúvidas em relação ao assunto.

    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.