Um exemplo que, infelizmente, os brasileiros não seguiram

Apesar da lambança feita com a concordância, como comentei aqui, a notícia publicada no Terra é muito boa e merece ser lida. Ela fala que os portugueses, em sua maioria, não aprovam o ridículo acordo ortográfico e não pretendem usá-lo. Não lembro de nenhuma pesquisa similar feita com brasileiros, e talvez até tivéssemos um número similar de pessoas contrárias a ele. Interessante que os jovens lusos são os que mais discordam da reforma. Acho que aqui no Brasil teríamos um percentual diferente, já que os miguxos já não sabem escrever mesmo e estão felizes com a novidade.

Mas o que realmente gostei na matéria, e que me fez tirar o chapéu para os portugueses foi este parágrafo:

Em Portugal apenas três jornais estão utilizando as normas do acordo, dos quais só um tem circulação nacional: o esportivo Record.

Aqui no Brasil, até onde sei, todos os jornais, impressos ou de internet, portais e grandes fornecedores de conteúdo abraçaram de pé e mão o acordo, alguns até mesmo antes de o acordo ser firmado. Folha de S.Paulo e Veja já há muito tempo aboliram, por conta própria, o trema. Estranha essa atitude. Será que só na internet haverá redutos de rebelião contra essa reforma estúpida? Em Portugal, o prazo para o uso das novas regras é diferente do do Brasil. Uai, que raio de acordo é esse, em que cada uma das partes age como bem entende? E ouço por aí, em faculdades de letras, que talvez Portugal nem mesmo adote a nova ortografia…

Portugueses, vocês estão de parabéns!

2 Replies to “Um exemplo que, infelizmente, os brasileiros não seguiram”

  1. Estou plenamente de acordo com o que você disse, meu amigo. Eu só acrescentaria que, em um país que não dá a menor atenção à educação, à formação séria de educadores e professores, como é o nosso caso, uma reforma ortográfica para mascarar a ignorância não só de adolescentes, mas de jovens e velhos, e a celebração da burrice generalizada não será suficiente. Essa reforma ridícula mal estará absorvida pelos que sempre levaram a língua a sério quando outra já estará sendo proposta. Só não sei para mascarar mais o quê? Porque já estamos no fundo do poço em se tratando de língua portuguesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.